Sinceramente, eu entendo a reclamação do pessoal que critica a hostilização e a violência dos manisfestantes contra a presença da turma político partidária. Mas não compreendo a motivação desta reclamação.

Parecem que todos se esqueceram neste momento que estamos no Brasil. Aqui, desde pelo menos meio século, com intervalos como 'Diretas Já' no ano 84 do século passado, e mais fortemente após o impeachment de 92 do mesmo século, os clichês são: 'político não presta', 'partidos políticos são todos farinha do mesmo saco, nenhum presta', 'politicagem safada', 'os partidos e os políticos não representa o povo'. (Eu nem vou me dar o trabalho de procurar fontes para isso. Você é brasileiro. A fonte é você.)

Ora, esse pessoal todo de 92 pra cá, hoje com 21 anos pra mais, cresceram ouvindo isso. Uma mentira contada muitas vezes vira verdade. Uma verdade também.

Todos nós, eu incluso, somos coniventes com o que foi ensinado a essa geração. E o resultado disso está aí, para todos verem, em forma de hostilização e violência contra a posição - legítima, diga-se - político partidária.

E não, o fato de eu ou você termos uma posição política de qualquer vertente não é sinal de que a massa a possui. No Brasil, eu e você somos parte de uma classe abastada, a elite, com acesso e interesse na cultura histórica e na formação política. A massa não foi formada assim. A massa foi formada, com a sua e a minha anuência tácita, para ser assim. É a visão do povo mão-de-obra, e não a do povo pensante.

Pior! Na hora que a classe de políticos, todos ligados a um partido e eleitos com legitimidade pelo método democrático vigente, está lá fazendo suas mazelas no legislativo e executivo, colocamos a culpa nessa massa. 'Foi você que votou nessa corja!', 'Foram os nordestinos que elegeram!', 'Só pobre votou nisso!'. Tiramos o corpo fora e culpamos o outro.

Falhamos em formar uma sociedade politicamente consciente e em formar uma classe política servil e atenta aos anseios da população que ela representa.

Por outro lado, tiramos nota dez na formação de um povo sem interesse político partidário e de uma classe política voraz, corporativista, interesseira, egoísta e que olha para política como carreira rentável. Digamos que a hostilidade da massa de manifestantes e os gritos de 'sem partido' seja o trote dos calouros nos veteranos.

Agora aguenta, meu rei. A classe política e a sociedade vai precisar de mais 21 anos para alterar esse quadro de consciência política. E sem reclamar, pois quando o contrário estava sendo feito, parecia todo mundo feliz, não é? Parecia...

Na verdade, a única motivação que consigo enxergar para esta reclamação é a miopia (ou cegueira mesmo) e a hipocrisia. Essas, em minha opinião, me soam mais honestas explicações.

Chupem essa manga, político partidários. E sem reclamar por ela ser azeda.