E aí? Divertindo-se com a sua rede profissa? Você já deve ter percebido que dá para fazer uma infinidade de coisas legais com ela. Pois faça! Você está no controle e sua imaginação é o limite.

Já que concluímos a rede IPv4, vamos partir para a rede IPv6. No fim, é ela que justifica toda essa série.

Se você está seguindo estes artigos, então já deve ter cuidado dos itens necessários para termos uma rede IPv6 junto com a rede IPv4 que já terminamos. Vamos recapitular esses itens?

Para continuarmos, você vai precisar de duas coisas: uma conta no SixXS e uma subrede /48.

Quando eu comecei a escrever esta série, em novembro de 2013, haviam 53 subredes IPv6 /48 disponíveis no pop da CTBC. Agora são 46. Vou me dar ao luxo de ser extremamente otimista e pensar que essas sete redes foram criadas por pessoas que leram estes artigos. Uau! É um recorde de audiência!

Antes de conectarmos o NAS à internet IPv6, vamos preparar o software necessário.

AICCU e RADVD

A conexão com a internet IPv6 se dá através de um utilitário chamado AICCU. Ele cuida exclusivamente de estabelecer a conexão com o SixXS, e mais nada. É o AICCU que implementa o túnel AYIYA (do qual falamos lá no princípio desta série), e esse túnel é a própria conexão com a internet IPv6. Depois de conectado e somente na máquina que você rodou o AICCU, você já estará navegando na internet IPv6.

Para que outros dispositivos em sua rede recebam um endereço IPv6 para utilizar a nova rede, você precisará do RADVD. A grosso modo, o RADVD é para a rede IPv6 o que o DHCP é para a IPv4, no sentido de que é ele o responsável por prover as informações da rede IPv6 para os dispositivos que se conectarem a ela se autoconfigurarem. Mas só a grosso modo, tá! Eles não são a mesma coisa.

Vou repetir: minha premissa para todas as instalações e configurações aqui é o NAS da Synology. Se você está usando um outro Linux ou BSD para o seu NAS, incluindo os roteadores com OpenWRT, então você precisa adaptar estas instruções para o seu caso, por conta própria.

Bootstrap do NAS

Antes de continuar, vou deixar a única reclamação que tenho contra a Synology: Porra, seus 'frango' da Synology! Custava nada vocês terem feito o túnel IPv6 do DSM mais compatível com outros serviços como o SixXS e HE, né?!? O túnel de vocês só funciona bem com o FreeNet6 da Gogo6 e ele só tem POPs na América do Norte, Europa e Ásia. Isso evitaria toda a gambiarra abaixo. Shame on you for this, Synology!

Para instalar o software que precisamos no NAS, faz-se necessário antes tornar o NAS capaz de rodá-los. Esse processo é chamado de bootstraping. É tipo um jailbreak. Como tal, os seguintes avisos se aplicam:

  1. Faça um backup completo antes de fazer qualquer modificação no software do fabricante;
  2. Modificar o software de fábrica termina imediatamente a garantia do software (mas comumente não a do hardware);
  3. Modificar o software de fábrica elimina o direito do usuário ao suporte técnico de software do fabricante;
  4. Qualquer forma de dano resultante da modificação do software de fábrica é de responsabilidade exclusiva do usuário;
  5. O procedimento de modificar o software de fábrica só deve ser feito por usuários experientes;
  6. Todas as modificações de software podem ser revertidas se o software original do fabricante for reinstalado, mas ocasionalmente (embora pouco comum) isso possa causar perda de dados;
  7. Faça as modificações por sua conta e risco. Nem eu e nem o fabricante somos responsáveis por nada de errado que acontecer a você, ao seu hardware ou aos seus dados em decorrência dessas modificações.

Em outras palavras: se você fizer merda, o problema é seu. Não é meu, não é da Synology. É só seu.

Se você está fazendo isso em um NAS construído por você, então esses avisos não se aplicam ao seu caso.

Estamos entendidos assim? Ótimo! Continuando...

Para instalar o bootstrap no Synology, você vai precisar descobrir qual é o processador do seu NAS. Visite esta página para descobrir isso. Vou usar nos exemplos o meu próprio NAS, um DS211+, que possui uma CPU Marvell Kirkwood mv6282 1.6Ghz ARM (Marvell ARMADA 300).

Você também vai precisar habilitar o SSH do seu DSM e se conectar a ele via SSH. Para fazer isso do jeito certo (isto é, seguro), leia isso.

Já conectado ao NAS via SSH, rode os comandos abaixo como root:

# cd /volume1/@tmp
# wget http://web.archive.org/web/20121005035819/http://wizjos.endofinternet.net/synology/archief/syno-mvkw-bootstrap_1.2-7_arm-ds111.xsh
# chmod +x syno-mvkw-bootstrap_1.2-7_arm-ds111.xsh
# ./syno-mvkw-bootstrap_1.2-7_arm-ds111.xsh
# rm -f syno-mvkw-bootstrap_1.2-7_arm-ds111.xsh
# cd ~/
# vi .profile

Agora edite o arquivo da seguinte forma:

# Substitua isso...
PATH=/sbin:/bin:/usr/sbin:/usr/bin:/usr/syno/sbin:/usr/syno/bin:/usr/local/sbin:/usr/local/bin
export PATH

# ...por isso
PATH=/sbin:/bin:/usr/sbin:/usr/bin:/usr/syno/sbin:/usr/syno/bin:/usr/local/sbin:/usr/local/bin
PATH=$PATH:/opt/bin:/opt/sbin
export PATH

Salve e saia (:wq). Depois reboot no seu NAS. Aguarde-o voltar, conecte-se via SSH novamente e como root:

# ipkg update

Pronto! O seu NAS já tem o que precisa para receber o software que cuidará da rede IPv6. Notou o comando ipkg? Ele é para o DSM o mesmo que o slackpkg é para o Slackware ou o apt para o Debian.

Instalando o AICCU

Já conectado ao NAS como root, execute os comandos abaixo:

# ipkg install aiccu
# echo "1" > /proc/sys/net/ipv6/conf/all/forwarding
# insmod /usr/lib/modules/tun.ko

Instalando o RADVD

Continue com a instalação do RADVD. Os comandos abaixo só valem se você tem o DSM 4.0 ou superior:

# ipkg install gcc make bison flex m4 libdaemon pkgconfig md5deep
# wget http://www.litech.org/radvd/dist/radvd-1.6.tar.gz
# tar xzvf radvd-1.6.tar.gz
# cd radvd-1.6
# M4=/opt/bin/m4 export M4
# LDFLAGS="-Wl,-rpath,/opt/lib" CPPFLAGS="-I/opt/include" CPPFLAGS=-DNETLINK_NO_ENOBUFS=5 \
./configure --prefix=/usr/local --sysconfdir=/opt/etc --mandir=/usr/share/man
# make
# make install
# cd ..
# rm -rf radvd-1.6*

Prontinho! RADVD instalado. Se você nunca instalou um software no Linux a partir dos fontes (compilar), parabéns! Você acabou de fazer isso e nem doeu.

Verificando Se Tudo Está Instalado Corretamente {#verificando-se-tudo-está-instalado-corretamente}

Agora falta verificar se tudo foi instalado a contento:

# aiccu version
AICCU 2007.01.15-console-linux by Jeroen Massar
# radvd -v
Version: 1.6

Compiled in settings:
default config file           "/opt/etc/radvd.conf"
default pidfile               "/var/run/radvd.pid"
default logfile               "/var/log/radvd.log"
default syslog facililty      24
Please send bug reports or suggestions to Pekka Savola <pekkas@netcore.fi>.

Se a sua saída se parece com isso, todo o software que não existia no DSM que é necessário para nos conectarmos à internet IPv6 e fazê-la funcionar em nossa rede local está no lugar. Agora basta configurá-lo, iniciá-lo e testá-lo para tudo estar pronto.

Existem versões mais novas do RADVD. A versão estável mais recente dele no momento em que escrevo isso é a 1.10.0. No entanto elas não são das mais estáveis no Synology. Por isso, fique com a 1.6. Ela funciona bem.

Mas isso a gente vai ver no próximo artigo. Sim, eu sei... eu sou um escroto mesmo por parar aqui. Exercite a paciência, pequeno gafanhoto.