Li agora no Big Think1: "Extremely Thin and Very Well-Dressed:" The Moral Universe According to Vogue.

No texto a autora diz:

There is a useful gem in this exercise that every adolescent girl should internalize. It’s Buck’s description to NPR about how and why Assad’s wife was deemed a "qualified" subject for a Vogue profile amid stomach-churning atrocities by her husband against the Syrian people: "Because she was extremely thin and very well-dressed."

-- Pamela Haag

A tradução disso é mais ou menos: "Há uma preciosidade neste exercício que toda garota adolescente deve internalizar. Buck [Joan Juliet Buck, ex-jornalista da Vogue] justifica à NPR [agência de notícias dos Estados Unidos] porque a esposa de Assad [Bashar al-Assad - presidente da Síria] foi considerada um assunto "qualificado" para um perfil da Vogue em meio as atrocidades de revirar o estômago cometidas por seu marido contra o povo sírio: "Porque ela era extremamente magra e muito bem-vestida".

A moral é essa coisa aí. Ideias oriundas do status-quo da sociedade parar regular a conduta dos indivíduos controlados por ela.

Para a Vogue, e para mais uma caralhada de gente se você não for magro e muito bem vestido, você não serve. Para a igreja (de qualquer espécie), se você não obedece e propaga os dogmas, você não serve. Para o capital, se você não trabalha para o acumulo de riquezas, você não serve. Para o nacionalismo, se você não morre pelo seu país, você não serve.

Seguindo essa lógica, se você é magro, muito bem vestido, ativamente religioso, rico e defensor obcecado da sua flâmula, você pode ser atroz e sanguinário e tudo estará bem.

Eu hein! Tô fora!


  1. Se você não conhece o Big Think, recomendo.